Share |
Anterior Próximo

03/03/2011

Ribeirão Preto I - SP


Oficina Pedagógica
Número de horas: 8,0 horas
Empresa: Arte e Vivências
Facilitador: Administrador
Estado: SP
Cidade: Ribeirão Preto
Secretaria de Ensino: Não Espeficicado
Educadores Relacionados: Nenhum Educador Relacionado
Instituições Relacionadas: Nenhuma Instituição Relacionada

DESENVOLVIMENTO

1. Boas-vindas e apresentação: As boas-vindas foram feitas com a apresentação do vídeo institucional da Tetra Pak, seguida pela apresentação da Jussara Laticínios e cada participante preencheu o seu crachá. Os kits foram distribuídos para todos, sendo manuseados todos os materiais. Alguns conheciam o material.

2. A Relação com o lixo: Após as apresentações, solicitou-se que cada participante escrevesse em papeletas coloridas qual a sua relação com o lixo. As respostas foram colocadas em um painel, o qual todos foram convidados a ler. Parte dos coordenadores já participa de programas de coleta seletiva, estando sensibilizados e organizados para tal. Uma parte não havia ainda pensado sobre sua relação com o lixo e demonstraram mudança de percepção com esta oficina.

Professor Omir: Medo - antes / União - depois

Professora Patricia: Cuidado - antes / Separação - depois

Professora Ezilda: Organização - antes / Reutilização - depois

3. Dinâmica - Pensando soluções: Apresentada situação hipotética da professora de ciências ensaiar a implantação do programa de coleta seletiva na escola, recebendo contraposições de outra colega. A solução foi convocar uma reunião em que estivessem presentes vários agentes do universo escolar, sendo representados voluntariamente pelos coordenadores da oficina.

Desenvolvimento: O pai e cozinheiro se sensibilizaram com a professora de ciências. Ambos falam a respeito do desperdício de materiais, sendo descartados vários produtos ainda em condições de uso. O projeto foi escrito pela professora que já pesquisou como faz. Sua proposta é que a comunidade seria estimulada a trazer todo o resíduo para a escola. Professora Marlene se juntará com a professora de artes para fazer marcadores de livro com os alunos, visando conscientizá-los para a coleta seletiva.

Reflexão: Primeiro houve uma fala compartilhada de que se deve trabalhar com crianças pequenas pois o ensino médio já está focado no vestibular e são mais rebeldes. Depois, falas mais politizadas, reportando-se ao consumo e o sistema capitalista que cria mecanismos de incrementar o consumo. Durante alguns depoimentos, houve uma superficial idéia da coleta seletiva ser inviável em Ribeirão Preto, pois não tem cooperativas de coleta seletiva na cidade que possam abranger todos os bairros. A tônica do debate foi que no início da ideia há um jogo de empurra-empurra entre cada representante. Na medida em que em todos vão se conscientizando que há muito desperdício, pouco a pouco foram se colocando a favor, mas sem abraçar totalmente a causa. Por isso, a necessidade de um líder no projeto, que geralmente é um professor ou o coordenador pedagógico.

Itens mencionados a partir da reflexão desta atividade:

urgência em se trabalhar educação ambiental também com adultos; professores são espelhos para os alunos; o desconhecido dá medo; às vezes as pessoas não se envolvem por vergonha de se expor; a coleta seletiva está sendo ampliada na cidade. Há uma década atrás não se tinha nada sobre isso. Aos poucos o processo vai sendo aprimorado. lixo é um assunto em comum a todos. É mais fácil falar de lixo do que de cantigas de roda, por exemplo. Para trabalhar com o grupo de professores, basta um pouco de dedicação.

Visando possibilitar mais informações sobre o assunto, foi apresentada uma sequência de slides em paralelo ao material do kit, especialmente a análise de ciclo de vida do material.

4. Análise do ciclo de vida da embalagem longa vida: Os participantes foram convidados a visitar o site da Tetra Pak. Foram divulgados os www.rotadareciclagem.com.br e www.culturaambientalnasescolas.com.br Alguns professores mencionaram já ter participado de oficinas em 2004 e de conhecer as canetas recicladas e o kit educativo. Para encerrar a dinâmica, lembraram-se alguns cuidados para implantar a coleta seletiva na escola:

Mapear e definir primeiramente quem irá fazer a coleta do material; realizar a coleta dos resíduos da escola e posteriormente abrir para a comunidade; ter claro a dimensão da produção gerada de resíduo para definir como e onde será acondicionado até a coleta final; envolver todos da comunidade escolar; produzir atividades sobre o tema para os alunos se sentirem motivados; não esquecer de conscientizar e treinar os agentes da cozinha e da limpeza; periodicamente anunciar os resultados do programa, motivando a todos; realizar visitas ao lixão, ao aterro sanitário, à cooperativas com os alunos

Foi esclarecida a diferença entre cooperativa e catador informal/ reciclável e reciclado.

5. Vídeo - Quixote Reciclado: As principais mensagens que ficaram do vídeo para alguns participantes foram:

Se não prestar atenção, o lixo continuará sendo um monstro;

O lixo é um problema mundial, mas todos devem fazer a sua parte.

6. Demonstração da reciclagem da embalagem longa vida: Realizada a demonstração da reciclagem da embalagem longa vida, com a participação dos coordenadores.

7. Ações programadas: Explicado e debatido o conceito dos 04 perfis de concepção de meio ambiente desenvolvido pelo professorado: Sistêmico, Integral, Desassociado, Genérico, os participantes foram divididos em sub-grupos, os quais contabilizaram o número de professores em suas respectivas escolas categorizando por tipo de perfil.

O grupo 1 composto 237 professores, o grupo 3 composto por 207 e o grupo 5 composto por 138 indicaram pertencer aos perfis sistêmico e integral de concepção de meio ambiente. Já nos grupos 2 com 207 professores e o grupo 4 com 317 houve uma predominância dos perfis 2 e 3. Esta oficina pode atingir potencialmente 1.065 professores.

Como a concepção de meio ambiente mais representativa neste grupo foi o Desassociado, esta percepção foi melhor detalhada: acomodada, desatualizada, sem comprometimento, criativa,relativa capacidade crítica.

Após o detalhamento deste perfil e resgate do conteúdo, os coordenadores citaram algumas iniciativas de programa de coleta seletiva que deram resultado durante o projeto da empresa Coca-cola. Parte dessas escolas abandonou o projeto por não ter mais quem fizesse a coleta e parte foi buscar outras parcerias. Catadores informais e a cooperativa municipal são os agentes de coleta, mas seu atendimento ainda é muito precário e pontual. Alguns coordenadores mais engajados com o tema apresentaram atividades que podem ser realizadas na escola:teatro, oficinas de papel e feiras de ciências.

Este momento possibilitou a troca de experiências, recebendo o apoio da PCOP Vera Puga, que agradeceu a participação de todos e divulgou o endereço do seu blog, para que os coordenadores pudessem compartilhar o que estavam fazendo de ações ou as dificuldades que estavam tendo com suas equipes.

8. Encerramento e avaliação: Finalização do painel Relação com o lixo, distribuídos os questionários de avaliação, agradecimento da participação e sorteio das bolsas com produtos Jussara.




Anterior Próximo