Share |
Anterior Próximo

31/08/2012

Posse - GO


Oficina Pedagógica de Posse
Número de horas: 8,0 horas
Empresa: Tetra Pak
Facilitador: Matheus Pedro
Estado: GO
Cidade: Posse
Secretaria de Ensino: Não Espeficicado
Educadores Relacionados: Nenhum Educador Relacionado
Instituições Relacionadas: Nenhuma Instituição Relacionada

OFICINA DE POSSE - GÓIAS

Data da oficina: 31.08.2012

Contato: Marli Santos

Local: SRE - Rua João de Abreu, 299 - Centro - CEP: 73900-000 - Posse, GO.

Índice


APRESENTAÇÃO

1. Expectativas, boas-vindas, apresentação

A oficina teve início com a apresentação da Eliana Borges promovendo as boas-vindas, sendo os participantes convidados a servirem do café da manhã. Como os participantes eram de diversos municípios vizinhos, houve atraso para o início e grande solicitação de término antes do horário previsto, por conta dos horários dos transportes. Acordamos em fazer debates mais rápidos, evitando conversas paralelas. Foi comunicado que algumas atividades seriam, portanto, suprimidas, pois a oficina prevista de 08 horas estava sendo modificada para 06, sem contar com os intervalos previstos para o café e atrasos dos participantes.

Notou-se que boa parte dos participantes não eram professores ativos nem coordenadores pedagógicos. E alguns vieram para a oficina sem exatamente saber sobre o que se tratava. Houve comunicação para alguns que a oficina era de meio-período e não o dia todo. Como Posse é um município com melhor infra-estrutura de serviços ao público, alguns participantes chegaram mais tarde do horário do almoço (apesar do horário ter sido combinado no início do dia), pois deixaram para fazer atividades pessoais aproveitando que estavam na cidade.

Por conta destes ajustes comprimindo as informações / atividades, nesta oficina há poucas fotos e a programação readequada. Os participantes expressaram como expectativas da Oficina:

· Aprender algumas coisas novas dos assuntos de reciclagem

· Compartilhar experiências

· Aprender dinâmicas / metodologia para replicarem na escola

2. A Relação com o lixo

Solicitou-se que cada participante escrevesse em papeletas coloridas qual a sua relação com o lixo. Esta mesma atividade foi realizada ao final da oficina e percebeu-se a mudança de conceitos no aspecto da informação, outros mudaram a sua relação de afetividade, e outros ainda, o aspecto organizacional. Exemplos:

· Cognitivo: inevitável x renda

· Afetivo: Incômodo x Responsabilidade

· Organizacional: Preocupação x Reciclar

EXECUÇÃO

1. Contextualização

O total de educandos atingidos por este grupo de participantes é de potencialmente 8.304. A grande maioria das escolas não possui programa de coleta seletiva e poucos professores desenvolveram atividades deste conteúdo. Em alguns municípios não existe aterro sanitário, sendo os resíduos ou queimados pela população (área rural) ou dispostos em lixão. Conforme os aspectos que envolvem a produção de resíduos, sua tipologia, as formas de destinação iam surgindo com o debate, o roteiro da oficina com o conteúdo preparado ia sendo apresentado, qualificando as considerações dos participantes. O vídeo Carbono e Metano não foi trabalhado para priorizar o momento coletivo de troca de experiências. Os kits educativos foram distribuídos e o ciclo de vida da embalagem longa vida serviu como referência para se discutir questões sobre a importância dos atores, contextualizando os desafios e as conquistas do poder público, empresa, transporte, cooperativa, consumidor. Durante a parte da manhã, o kit foi manuseado, tendo sido apresentado todos os seus recursos.

Este grupo de participantes foi bastante crítico quanto ao fato desta oficina propor a reciclagem e coleta seletiva, ao mesmo tempo em que se tem lixão nos municípios vizinhos. Neste sentido, houve um acalorado debate pois parte dos participantes acredita que são estes momentos de formação junto às escolas, que algumas mudanças no município começam a ser demandadas pela pressão social dos alunos aos seus pais / comunidade. Outra parte do grupo, mesmo agradecendo a viabilidade por terem sido contemplados com esta oficina, sugere que este tema poderia ter mais foco prático, interligando ações, tal como organização de um seminário com os prefeitos e vereadores das cidades, ou um evento maior sobre o tema em que pessoas influentes da política municipal poderiam estar presentes.

2. Política Nacional de Resíduos Sólidos

Neste tom, foi apresentada a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (ainda desconhecida pela praticamente totalidade do público). Entendeu-se que a presença dos lixões e o não investimento em cooperativas de coleta seletiva são mecanismos que tendem a diminuir.

3. Reciclagem da embalagem longa vida

Na parte da tarde, foi realizada a demonstração da reciclagem longa vida para todo o grupo, após a apresentação dos slides que mostram o processo na indústria.

4. Ações programadas

Os trabalhos dos grupos versaram sobre levantamento e pesquisa de dados para implantação de projetos, embora a cidade não tenha ainda a estrutura de coleta seletiva. Os professores se colocaram como motivadores desta temática, para iniciar uma força política de mobilização.

Contribuir para a conscientização ambiental e a mobilização dos alunos foram o objetivo dos grupos, envolvendo: · pesquisa de campo · apresentação de vídeo · discussão sobre coleta seletiva · tempo de decomposição dos materiais · impactos destes materiais na natureza · 3. R´s · estudar formas de destinação de resíduos · entrevistar catadores

Como: produzir relatórios, textos, fotos, e portifolio com fotos do projeto.

Público: 4º e 5º Anos.

Produto final: seminário para comunidades

AVALIAÇÃO

Ao final, todos os participantes realizaram a avaliação por escrito, sintetizada a seguir:

1. O que mais lhe agradou na oficina de hoje?

· Didática / abordagem da oficina (5) · Informações e conhecimento (5) · Tudo (4) · Oficina de papel (3) · Vídeos (2) · A expectativa de uma cooperativa de reciclagem no município (2) · A palestrante (2) · Informações sobre a empresa (1) · Troca de experiências e debates (1)

2. O que não lhe agradou nas atividades de hoje?

· Nada (12) · Tempo curto para a importância do assunto (4) · Descobrir que a muito a ser feito e poucas pessoas envolvidas (2)

3. O que você acha que poderia ser modificado na oficina realizada?

· Mais horas de oficina (6) · Nada (6) · Mais atividades práticas / em grupo (5) · Ampliar para mais professores da região (4) · Mais exemplos práticos (2) · Oficina de papel para todos participantes (2) · Maior contextualização com a realidade local (1)

4. Você se sente instrumentalizado para trabalhar sobre o tema? Por quê?

· Sim, pois a qualidade do material / oficina fornecido possibilitará trabalho com alunos e a oficina ampliou conhecimentos (14) · Sim, pois assunto é importante/interessante e está no cotidiano dos alunos (4) · Sim, mas necessito de mais apoio/estudo/material (2) · Sim, já trabalho com o tema (1) · Sim, estou mais motivado (1) · Não trabalho diretamente na sala de aula (1)

6. Como gostaria de aplicar/compartilhar as aprendizagens obtidas nesta oficina?

· Com mais funcionários e professores (11) · Com os alunos e a comunidade (5) · Com mais projetos e palestras (5) · Com mais pessoas (1) · Em grupos de estudo (1)

São Paulo, 04 de outubro de 2012.

Elaine Silva




Anterior Próximo