Share |
25/11/2014

Toyota anuncia primeiro carro a hidrogênio produzido em larga escala


EcoDesenvolvimento

A Toyota anunciou na segunda-feira, 17 de novembro, o primeiro carro movido a hidrogênio que deverá ser produzido em grandes quantidades e comercializado ao público geral. O veículo sedã batizado de "Mirai" começará a ser vendido nos Estados Unidos e no Japão em 2015.

Segundo a Toyota, o Mirai (nome que em japonês significa "futuro") vai rodar 480 km com um tanque de hidrogênio, será reabastecido em 5 minutos e seu escapamento vai soltar apenas vapor d’água.

O automóvel possui uma célula de combustível na qual o hidrogênio se combina com o oxigênio do ar, produzindo água e eletricidade. É como uma bateria, mas, em vez de recarregá-la com eletricidade, coloca-se mais hidrogênio para que a reação química possa continuar.

A eletricidade liberada pela célula é armazenada numa bateria convencional. De lá, ela alimenta o motor elétrico que move o veículo. Freios regenerativos reforçam a carga da bateria durante as frenagens.

A Toyota diz que a energia gerada com um tanque de hidrogênio seria suficiente para abastecer uma casa durante uma semana.

Desafios

Embora seja conhecida desde os anos 1960, essa fonte de energia nunca foi usada em larga escala por ter custo elevado e algumas barreiras práticas. Uma delas é necessidade de haver postos onde os proprietários possam reabastecer seus carros com hidrogênio.

A Toyota fechou convênios com distribuidoras de combustível para a montagem de uma rede de postos no nordeste dos Estados Unidos e na Califórnia. No início, o Mirai será vendido apenas nessas duas regiões dos Estados Unidos e no Japão. Todavia, deverá ser o primeiro carro desse tipo comercializado ao público geral.

"Estamos num momento de mudança na história dos automóveis", destacou o presidente da Toyota, Akio Toyoda. Ele acrescentou que o Mirai percorreu milhões de milhas na pista de teste e vem sendo testado em estradas há dez anos. “Agora estamos prontos para entregá-lo”, ressaltou.

Outro obstáculo é que adquirir um carro com essa tecnologia, obviamente, não é para qualquer bolso: no Japão, o Mirai custará o equivalente a 156 mil reais.