Share |
19/08/2012

Qual a importância das missões espaciais? Veja como trabalhar o tema em sala de aula


http://revistaescola.abril.com.br

Não é de hoje que a humanidade se pergunta sobre a existência de vida fora da Terra, em especial naquele ponto avermelhado do céu que conhecemos como o planeta Marte. A recente missão norte-americana a nosso vizinho de sistema solar mostrou que as especulações são muito mais sérias do que fariam supor as fantasias terráqueas envolvendo homenzinhos verdes. Há fortes indícios de vida em Marte, e é basicamente à procura desses sinais que a Terra insiste em enviar missões de reconhecimento para lá.

Por enquanto, é pouco e contraditório o que se sabe sobre o vizinho. Contudo, as pesquisas se intensificaram desde janeiro deste ano, quando pousaram em Marte dois jipes-robôs gêmeos da Agência Espacial Norte-americana (Nasa), o Spirit e o Opportunity. Cada um de um lado oposto do planeta, eles se juntaram a três sondas que já estavam lá, as norte-americanas Mars Global Surveyor e Mars Odyssey e a Mars Express, da Agência Espacial Européia (ESA).

O Spirit e o Opportunity, equipados com microscópios, espectômetros (instrumentos ópticos que medem a radiação luminosa) e brocas, passearam em solo marciano a uma velocidade média abaixo de 100 metros por dia, lentidão suficiente para observar detalhes, fazer análises geológicas, tirar fotos e quebrar rochas. "Os robozinhos estão lá para fazer análises químicas e estruturais de perto, como num laboratório", diz Enos Picazzio, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo.

O ponto alto da missão aconteceu no início de março, quando a Nasa anunciou a conclusão de que a região de Meridiani Planum — como o nome indica, lisa e plana — já esteve coberta, algum dia, por grandes quantidades de água. A presença de água em estado líquido é o pré-requisito fundamental para a ocorrência de vida como a conhecemos na Terra, mas ainda é cedo para afirmar que Marte já abrigou atividade biológica. Falta encontrar traços diretos de vida, atual ou em forma de fósseis. "As sondas Spirit e Opportunity foram projetadas para fazer medidas específicas e enviadas a locais escolhidos para realizar a análise da presença de água, que já era dada como certa", diz Picazzio.

É na esperança de saber mais sobre nosso planeta que se baseiam as experiências espaciais. No site da Nova Escola você confere mais sobre o tema e ainda encontra um plano de aula para introduzir o assunto com os alunos!

Você ainda pode conferir mais imagens tiradas pela sonda no site da Uol.