Share |
08/03/2017

A bateria feita de papel que funciona à base de bactérias


Eco Guia

Novas formas de gerar energia sempre surpreendem! Chega ao mercado mais uma surpresa: a Universidade de Binghamton desenvolveu um novo tipo de bateria que pode revolucionar os microeletrônicos – e facilitar seu uso em áreas remotas e/ou com recursos limitados.

Isso porque, para construir a bateria, só é preciso um pedaço de papel, uma fita de nitrato de prata e uma camada de cera. Além de mais simples, a técnica também reduz o tempo e custo de produção das baterias.

Para fazer a bateria começar a funcionar, basta dobrar a folha no meio e jogar um pouco de líquido. Assim, inicia-se a respiração celular das bactérias e se gera energia. O dispositivo é capaz de alimentar monitores de glicose, detectores de patógenos e ainda manter outros eletrônicos pequenos funcionando por dias sem nenhuma necessidade de energia externa.

“Estamos animados com essa tecnologia porque microorganismos conseguem coletar energia elétrica de qualquer matéria orgânica, como esgoto, que é comum em qualquer região”, explica Choi, do Departamento de Engenharia Elétrica e Computação da Universidade.

Apesar de revolucionário, o dispositivo ainda pode melhorar muito. Por enquanto, ele não consegue abastecer nem uma lâmpada de 40 watts, por exemplo. A ideia é que funcione como alternativa de baixo custo e de simples produção.