Share |
09/04/2015

Salvador é a quarta capital brasileira a integrar o grupo global C40


Portal EcoD

A entrada de Salvador na organização mundial será oficializada, em Buenos Aires, no dia 27.

O Cities Climate Leadership (C40), grupo de 40 grandes cidades do mundo criado em 2005 com foco no combate ao aquecimento global, ganhou no dia 3 de março a inclusão da quarta capital brasileira: Salvador. As demais são São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Salvador havia solicitado a entrada nesse grupo, que hoje já conta com 75 cidades, em outubro de 2014. "A prefeitura realizou um seminário sobre resíduos sólidos em que estava presente um diretor do C40. A partir da reunião, o prefeito ACM Neto teve a ideia de pedir a entrada de Salvador no grupo", relatou ao jornal Correio o titular da Secretaria Cidade Sustentável, André Fraga.

Segundo Fraga, no mesmo seminário também foi lançado o projeto de um inventário que vai medir a emissão de gases poluentes na cidade, a exemplo do metano e CO2. O documento tem um custo estimado em R$ 600 mil e conta com financiamento da embaixada britânica por meio da operação do World Resources Institute (WRI) e do Iclei, plataforma da ONU que atua junto aos governos locais.

A partir do inventário, será feito um plano de combate para a diminuição dos gases de efeito estufa. "A iniciativa local, com ações das cidades, é um dos pilares do C40. A mudança climática faz parte da agenda global. É um problema de todos. Ao mesmo tempo, é na cidades onde tudo acontece".

Fraga acredita que a entrada de Salvador na organização mundial se deve, em sua grande parte, não só às ações da prefeitura que envolvem sustentabilidade, como o aumento de ciclovias, mas também aos planos que ainda não saíram do papel. Estamos implantando corredores exclusivos para ônibus, e até o final do mês será implantado o IPTU verde", destacou o secretário.

Redução das emissões

As cidades participantes do C40 têm a responsabilidade de apresentar relatórios sobre as emissões de gás carbônico (CO2). Juntas, elas devem cumprir o desafio de diminuir em 1 gigatonelada (1 bilhão de toneladas) a emissão de gases que provocam o efeito estufa até 2020. Para se ter uma ideia, por ano o mundo emite mais de 31 gigatoneladas de CO2.

Além do cumprimento da meta, a participação de Salvador no C40 também traz outros privilégios para a capital. Entre eles está a maior facilidade para acesso a crédito junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e ao Banco Mundial.

As instituições têm interesse no financiamento dos projetos ecológicos da cidade. A entrada de Salvador na organização mundial será oficializada, em Buenos Aires, no dia 27. A cerimônia contará com o presidente do C40, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

Confira esta e outras notícias no Portal EcoD