Share |
10/05/2014

Parc du Chemin-de-l'Ile, em Nanterre, contribui para a despoluição do Rio Sena

Tetra Pak
Cidades Sustentáveis

O Parc du Chemin de I'lle é parte de uma grande ação de revitalização urbana. Tecnologias apropriadas são utilizadas para contribuir com a despoluição das águas do Rio Sena por meio de sistemas naturais integrados. No final do processo a água limpa é utilizada para irrigar as hortas comunitárias no parque.

Descrição

O Parc du Chemin de I'lle foi construído em um terreno marcado por uma forte presença industrial e de estradas e vias férreas. Localizado em Nanterre, na França, entre uma estrada, uma linha de trem, o Rio Sena e uma zona industrial, o parque de 14.5 hectares (145.000 metros quadrados) é parte de uma grande ação de revitalização urbana. Em fevereiro de 2006, o Conselho Geral de Hauts-de-Seine aprovou a construção do parque como parte do planejamento e ordenamento territorial e do projeto Sena Sustentável.

Parte do parque foi transformada em zonas úmidas artificiais. Na entrada do local, uma sequência de piscinões filtram e despoluem a água bombeada do rio Sena para ser utilizada na manutenção do parque e nas hortas comunitárias. A água do Sena é transportada por meio de um parafuso de Arquimedes e, posteriormente, é purificada passando por sete tipos de piscinas dispostas em cascata, uma depois da outra. As plantas de cada piscina foram selecionados de acordo com as particularidades para a despoluição e filtragem e aprimoramento da qualidade da água.

Metodologia

A primeira piscina contém Typha angustifolia e Phragmites Communis para quebrar as cargas orgânicas. A função é a de retirar as cargas poluentes, reduzir as taxas de nitratos, metais pesados e matérias orgânicas em suspensão.

A segunda piscina utiliza Equisetum fluviatile, Iris pseudacorus e Iris sibirica para eliminar germes. O papel da segunda bacia é o de suprimir as bactérias.

Os últimos piscinões contêm plantas oxigenantes: lírios de água (Nymphaea alba), Nymphoides peltata, e Glyceria aquatica. Além disso, lodaçais foram projetados para os insetos e anfíbios e locais para promover a desova dos peixes. A terceira bacia faz a oxigenação da água e atesta que seja de boa qualidade uma vez que os lírios só se desenvolvem em águas com taxas de oxigênio satisfatórias.

Objetivos

Os principais objetivos são:

- Regeneração da biodiversidade local; - Despoluição da água do Rio Sena; - A criação de áreas verdes; - Criar conexões verdes entre bairros.

Cronograma

- 2006: Inauguração do parque; - 2012: Ampliação do parque; - 2012: O parque obteve a certificação "espaço verde ecológico".

Resultados

- No parque são tratados aproximadamente 40 m3/h de água do Sena. E voltam aproximadamente 30 m3/h. - Em 2012, a iniciativa obteve a certificação "espaço verde ecológico". - A água que entra do Sena carrega compostos orgânicos, nitrogênio, fósforo e germes e tem uma qualidade da água classe 3 (Sistema Francês). Na saída, alcança uma qualidade classe 1B - "águas para banho". - O parque produz entre 40 e 80m3 de resíduos verdes que são reutilizados no local. E não é utilizado nenhum tipo de produto químico. - O consumo total de electricidade pelas edificações bioclimáticas é de 200 kWh/ano.

Instituições envolvidas

- Prefeitura de Nanterre - Empresa Phytorestore