Share |
29/07/2015

Consequências da poluição do ar na cidade de São Paulo


Pensamento Verde

A maior cidade brasileira e a mais importante economicamente também é aquela que carrega uma das marcas mais tristes do desenvolvimento urbano do país: a poluição. São Paulo é nacionalmente associada à péssima qualidade do ar, e o resto do Brasil não está errado. O desenvolvimento urbano acelerado e um ritmo de consumo cada vez mais agressivo faz da capital paulistana um grande (e mal) exemplo de como as atividades humanas podem afetar a qualidade do ar e ainda refletir na água e no solo.

Em São Paulo o ar está infestado de substâncias geradas por atividades humanas e que afetam a qualidade de vida das pessoas, podendo a poluição do ar provocar sérios problemas de saúde em crianças, jovens, adultos e idosos. Todo este cenário vem sendo agravado desde o começo do século XX, após o surgimento de muitas indústrias e a popularização dos automóveis nas décadas seguintes.

Descubra as consequências da poluição do ar na cidade de São Paulo

A saúde das pessoas é afetada diretamente pela poluição do ar na cidade de São Paulo, como no caso do monóxido de carbono vindo da fumaça dos carros, substância que diminui a capacidade sanguínea de transportar oxigênio pelo corpo e pode até provocar hipóxia tecidual. Além disso, o ozônio presente no ar causa irritação nos olhos e pode, dependendo do caso, diminuir a capacidade pulmonar. Outras substâncias presentes no ar poluído, o dióxido de enxofre e o de hidrogênio, são relacionados à irritação das vias áreas superiores.

A poluição do ar em São Paulo atua diretamente na queda da eficácia do sistema mucociliar das narinas, aumento dos casos de asma e, até mesmo ,crescimento no número de pessoas com câncer de pulmão. Este cenário pode ser percebido mais facilmente em crianças e idosos, pois são mais vulneráveis aos reflexos da poluição, e também em épocas de poucas chuvas e ventos, pois a baixa umidade favorece a concentração de mais poluentes no ar.