Share |
13/04/2015

Cidade de Curitiba ganha sua primeira Ciclorrota


Ciclo Vivo

A Prefeitura de Curitiba está implantando a primeira ciclorrota sinalizada da cidade, ligando o bairro Portão à Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), no bairro Prado Velho, e à Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres). Os círculos azuis, que chamaram a atenção da população curitibana nos últimos dias, identificam a ciclorrota.

O trecho tem 6,2 quilômetros de vias compartilhadas por carros e bicicletas, com velocidade máxima permitida de 30 Km/h. A sinalização viária nas ruas que compõem a ciclorrota e no seu entorno está sendo finalizada – o lançamento será feito no sábado (14). Veja aqui o mapa da nova ciclorrota

“Esta primeira ciclorrota de Curitiba representa mais um passo na consolidação do Plano Cicloviário da cidade. Queremos que a bicicleta seja, cada vez mais, uma opção segura de deslocamento para a população”, diz o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Pires. A atual gestão já implantou em Curitiba mais de 70 quilômetros de vias cicláveis, com destaque para o projeto da Via Calma da Avenida Sete de Setembro (com 6,3 km de ciclofaixas preferenciais), a implantação das ciclovias da Avenida Comendador Franco e da Linha Verde Sul e Norte, e a requalificação da ciclovia da Avenida Mal. Floriano Peixoto.

Sinalização

Todo o trecho da ciclorrota está identificado com 47 círculos de 2,5 metros de diâmetro, com fundo azul e uma bicicleta pintada no centro. Nos cruzamentos, também foram pintadas figuras de bicicletas. Em todas as transversais da ciclorrota há placas amarelas com sinalização indicativa de tráfego com bicicletas à frente.

O coordenador de mobilidade urbana da Secretaria Municipal de Trânsito, Gustavo Garrett, destaca que as ciclorrotas permitem que o ciclista se locomova com maior segurança. “A sinalização especial alerta os motoristas da criação destes espaços com prioridade ao ciclista. Essas rotas fornecem um sistema viário mais seguro aos ciclistas, gerando possibilidades de utilizar a bicicleta em vias com menor tráfego de veículos. As ciclorrotas são caminhos alternativos que saem do interior dos bairros e chegam aos eixos cicloviários principais”, diz.