Share |
27/11/2014

Rogério Coutinho apresenta primeiro episódio da série "O Valor do Lixo"

Tetra Pak
Globo.com

O repórter Rogério Coutinho esteve no estúdio do Como Será? para apresentar a nova série de reportagens do programa, chamada “O Valor do Lixo”, cujas gravações concentraram-se no eixo Rio-São Paulo por serem as cidades que mais produzem resíduos sólidos no Brasil. O que fazer com o lixo da sua casa? Assista à primeira reportagem da série e conheça alguns bons exemplos através do link da notícia.

Dayse Baumeier, advogada e moradora da Urca, no Rio de Janeiro, criou as próprias regras para separar tudo que possa ser reaproveitado dos restos orgânicos jogados fora pela família.

"Já tenho as minhas técnicas aqui. Tudo que é caixa de suco ou de leite, terminou, já deixo na pia e lavo. Essas garrafas (PET) já são de água, então, não precisa lavar. O ideal é que ela já esteja seca. Eu me sinto muito mais tranquila de ajudar a natureza e não poluir. Aí sei que é menos lixo para os rios, a Baía de Guanabara e para entupir os lixões. Fico mais confortável comigo mesmo fazendo dessa forma", conta Dayse.

A reciclagem é o melhor método para o reaproveitamento do lixo. As garrafas PET são a maior parte do material recebido pelas cooperativas. Elas são vendidas para indústrias e até mesmo transformadas em telhas. Edson Freitas, diretor da ONG Ecco Vida, já foi catador e, hoje, emprega 32 cooperativados, formadas por moradores de comunidades.

"Quando a pessoa pega essa matéria-prima e joga no lixo, ela gera despesa e poluição; mas quando ela leva para reciclagem, ela gera emprego e renda, e ainda preserva o meio ambiente. Por que não preservar o meio ambiente dando a destinação adequada?", conclui Edson.