Share |
01/06/2014

Preparados para entrar em campo

Tetra Pak
CEMPRE

840 catadores estão sendo capacitados para a operação de coleta e reciclagem dos resíduos gerados durante os jogos da Copa do Mundo.

A Copa do Mundo deverá deixar um legado fundamental: a comprovação da capacidade das cooperativas de catadores de prestar um serviço de excelência emeventos de grande porte. A aposta está sendo feita pela Coca-Cola Brasil, em parceria com a Fifa, ao capacitar 840 catadores de materiais recicláveis para atuar dentro dos estádios durante as partidas.

A ideia é repetir o sucesso do modelo já utilizado durante a Copa das Confederações no ano passado, quando foram coletadas 70 toneladas de recicláveis por 240 catadores. “Avaliamos a experiência da Copa das Confederações de forma bastante positiva e, em parceria com a Fifa, resolvemos levar a ação para as doze cidades- sede. A participação dos catadores foi fundamental para o resultado. Agora, decidimos ir além e contribuir também para o crescimento profissional e pessoal desse grupo. Por isso, criamos o Treinamento para Gestão de Resíduos nos Estádios da Copa do Mundo da FifaTM”, explica Victor Bicca, diretor de Assuntos Governamentais, Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil para a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014TM.

A estimativa é que sejam produzidas 5 toneladas de resíduos passíveis de reciclagem a cada partida.

Durante a Copa, os recicláveis serão coletados e encaminhados para triagem nas cooperativas apoiadas pela Coca-Cola que oferece suporte para a gestão e capacitação de 300 cooperativas em 22 estados. “Além de fazer a coleta seletiva com reciclagem, vamos enviar o lixo orgânico para aterros ou para compostagem, tudo com a participação dos catadores como orienta a Política Nacional de Resíduos Sólidos”, detalha Bicca.

Na agenda, estão aspectos práticos como o manuseio dos equipamentos que serão usados durante o Mundial – lixeiras e coletores, identificados pela cor verde (recicláveis) e cinza (lixo orgânico) e também questões ligadas à dinâmica do trabalho dentro dos estádios, à segurança e ao comportamento dos catadores.

"Nossas experiências anteriores já mostraram o quanto o gerenciamento de resíduos é um aspecto fundamental para a sustentabilidade nas Copas do Mundo da Fifa. O fato de o governo brasileiro ter adotado recentemente políticas muito claras a respeito dos resíduos dá ainda mais importância para esse assunto em 2014", diz o diretor de Responsabilidade Social Corporativa da Fifa, Federico Addiechi. "Estamos muito contentes por termos conseguido trabalhar lado a lado com as cooperativas locais para fazer do evento algo mais sustentável."

Gol de placa para os catadores

Para Severino Lima Júnior, do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), essa convocação para o time da Copa do Mundo representa o reconhecimento da capacidade dos catadores de cumprir o padrão exigido pela Fifa e realizar um trabalho com competência e excelência internacional, além de promover a efetiva inclusão econômica e produtiva dos catadores das doze cidades-sede. “É um grande avanço e uma oportunidade de mostrar aos governos municipais que somos capazes de executar o que determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos no que tange à coleta seletiva e à contratação dos catadores pelos municípios, como também para sermos reconhecidos e contratados para cumprimento dos acordos setoriais. A participação na Copa será, sem dúvida, um marco histórico para nós”, garante Severino.