Share |
12/07/2014

Cresce o número de cidades do Brasil que realizam a coleta seletiva

Tetra Pak
CEMPRE

Dados da pesquisa Ciclosoft do Compromisso Empresarial para Reciclagem traz avanços na reciclagem brasileira pós aprovação da PNRS O Compromisso Empresarial para Reciclagem – CEMPRE anuncia os resultados da Pesquisa Ciclosoft 2012. A edição atual do estudo aponta que 27 milhões de brasileiros e 766 municípios do País já contam com coleta seletiva. Realizada a cada dois anos, a pesquisa está em sua décima edição e tem por objetivo traçar um panorama da reciclagem no país e servir de instrumento para iniciativas que visam o desenvolvimento do setor. Os números apontam avanços deste serviço no País, principalmente após a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Dos 5.565 municípios brasileiros, 14% já contam com o serviço estruturado. Em comparação com os resultados obtidos em 2010, houve um incremento de, aproximadamente, 73% no número de cidades que realizam a coleta, saltando de 443 para 766. O presidente do CEMPRE, Victor Bicca Neto, comemora os resultados apresentados pela Ciclosoft 2012: “Os números nos surpreenderam pelas evoluções apresentadas, como o aumento das cidades com coleta seletiva e a quantidade de brasileiros que passaram a ter acesso ao serviço. A aprovação da PNRS, em 2010, com certeza contribuiu para essa melhora”. Segundo o executivo, estes dois anos de lei mostram que o Brasil está no caminho certo para o seu desenvolvimento sustentável. “Precisamos manter o ritmo, pois ainda há muito que fazer.”

Reciclagem por região – Nas regiões sul e sudeste estão a maioria dos municípios com coleta seletiva (86%). Nas regiões norte, nordeste e centro-oeste o índice se manteve em 14% em relação à última Ciclosoft. Nos últimos dois anos, cerca de cinco milhões de habitantes passaram a ter acesso aos programas de coleta seletiva, o que significa que, atualmente, 27 milhões de brasileiros, cerca de 14% da população contam com o serviço. Destaque para os municípios de Curitiba, Londrina, Porto Alegre, Santo André, São José dos Campos e Goiânia, cujos programas alcançaram 100% de seus habitantes.

Modelos de gestão – A pesquisa apontou que as prefeituras operam em 48% das cidades ouvidas, enquanto as empresas particulares realizam a coleta em 26%. As cooperativas de catadores de lixo atuam como executores em 65% das cidades, sejam elas apoiadas ou mantidas pelos municípios. Os programas de maior êxito são aqueles nos quais há uma combinação dos diferentes modelos. Grande parte das cidades (88%) realizam o recolhimento de porta em porta. Dos entrevistados, 53% participam por meio da entrega de seu lixo reciclável nos Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s). Além disso, foi verificado que 72% dos municípios apoiam e/ou contratam as cooperativas de catadores para integrar a estrutura da coleta.