Share |
05/08/2017

Conheça o projeto de compostagem da Inova


Movimento Lixo Cidadão

O Movimento Lixo Cidadão foi conhecer de perto o programa “Feiras e Jardins Sustentáveis”, criado há pouco mais de um ano pela empresa Inova Gestão de Serviços Urbanos. A iniciativa foi implantada como um projeto piloto referencial temporário e, inicialmente, eram coletados resíduos de 26 feiras livres da Zona Oeste da Capital que passaram a ser compostados por meio da técnica de leira estática de aeração natural.

“O método consiste na permanente circulação do ar pelas laterais que é em poda picada e sai em forma de vapor de água. Esse é um método termofílico no qual temos que manter a temperatura interna em torno de 40ºC e 70ºC”, explica a gerente de Projetos Especiais da Inova, Eugênia Gaspar, em bate-papo com o Blog.

Essa temperatura elevada cria um ambiente propício para que fungos, bactérias e leveduras façam a compostagem do material orgânico e eliminem patógenos e metais pesados. Cada dia da semana há uma leira específica, que é aberta para receber os resíduos das feiras e com a aplicação de um inoculante que contribui com o processo de decomposição. “O alimento é composto, em média, por cerca de 70% a 80% de água. Com o calor, essa água vira vapor ou percolado, e o percolado a gente coleta”, acrescenta Eugênia.

O método completo de compostagem dura 120 dias e tem resultados surpreendentes: 1 tonelada de resíduos se transforma em 200 quilos de composto orgânico. “Isso sem falar que é uma tonelada que você deixa de encaminhar para o aterro sanitário e que também deixa de emitir carbono”, salienta a executiva. O projeto recebe, em média, seis toneladas de rejeitos todos os dias, oriundos de 52 feiras, entendendo que no segundo ano do projeto o número de feiras participantes duplicou.

O sucesso do projeto se deve, também, ao trabalho de conscientização do feirante realizado pela Inova. “Nós fizemos, previamente, a conscientização dos feirantes e com os nossos próprios varredores. Temos uma equipe de educação ambiental, a fiscalização da Prefeitura Regional e o apoio da Secretaria do Trabalho”, detalha Eugênia. “Fazemos uma manutenção permanente com a nossa equipe; isso é de suma importância para o gerador, seja ele qual for, para qualquer tipo de reciclagem. O sucesso da reciclagem depende de que a pessoa que gera o resíduo tenha o seu comprometimento e a sua consciência de que precisa separar”, enfatiza.