Share |
27/06/2013

Projeto 'Fábrica Verde' transforma lixo eletrônico em inclusão digital


G1

Um projeto chamado ‘Fábrica Verde’ transforma o lixo eletrônico em inclusão digital e já capacitou quase 500 jovens em comunidades pacificadas. O projeto existe desde outubro de 2011, quando foi inaugurado fisicamente nos arredores do Complexo do Alemão, no Subúrbio do Rio.

Em junho de 2012, foi inaugurada outra 'Fábrica Verde', na Rocinha, Zona Sul do Rio. Desde o seu lançamento, a Fábrica Verde recebeu cerca de dez toneladas de lixo eletrônico e já capacitou 360 jovens do Alemão e outros 120 da Rocinha.

As turmas da 'Fábrica Verde' são trimestrais, reunindo 120 alunos, que recebem uma bolsa-auxílio de R$ 120 por mês. Pode se inscrever quem tem de 17 a 29 anos e esteja cursando ou tenha terminado o ensino médio.

Para se matricular, basta comparecer até a 'Fábrica Verde' levando documento foto e comprovante escolar.

Os endereços das fábricas são:
- Complexo do Alemão: Av. Itaóca, 1961, Bonsucesso, telefones: 33181-4366 e 3882-3012;

- Rocinha: estrada da Gávea, 486, bloco 20 (Rua da Casa da Paz), telefone: 2239-1777

Fichas
As fichas de inscrição podem ser retiradas nas sedes das UPPs das comunidades do Salgueiro e do Turano, e também nas Associações de moradores das comunidades da Chacrinha e do Salgueiro. É possível também conseguir a ficha através da internet pelo e-mail stc.ambiente@gmail.com

As dúvidas sobre os cursos podem ser esclarecidas pelo telefone 2332-5623, da Superintendência de Território e Cidadania da Secretaria de estado do Ambiente.

Outras informações: www.stcambiente.com