Share |
23/02/2015

5 perguntas sobre falta de água


Nova Escola

Seca? Escassez? Racionamento? Com base na entrevista de Gesner Oliveira, Ph.D pela Universidade da Califórnia em Berkley e presidente da Sabesp entre 2007 e 2010, à revista VEJA, discuta com seus alunos os problemas do desperdício de água.


  • Por que falta água?

Gesner levanta três causas principais: a urbanização crescente, com o surgimento de macrometrópoles com planejamento não voltado para um bom aproveitamento da água; o crescimento do consumo pelo aumento da classe média em economias emergentes; e o processo de desenvolvimento não sustentável, como o desmatamento às margens dos rios e a sobrecarga de utilização do lençol freático, que contribui para que os mananciais sequem.

  • Os brasileiros desperdiçam muita água?

‘Nossa perda média é de 37%. Se o país fosse uma padaria, significaria que, de cada dez pãezinhos assados, estaria jogando 3,7 fora’, explica o especialista. Ele conta que algumas regiões apresentam taxas piores, como o estado do Amazonas, que desperdiça cerca de 70%, ou a cidade de Recife, com dados superiores a 40%. Ele reitera, no entanto, que a meta para 2019 é reduzir a média nacional para 17%, ainda acima do padrão internacional, na faixa de 10% a 15%

  • Por que gastamos tanta água?

De acordo com Gesner, o primeiro motivo são os problemas de vazamento. Até quando a água vaza na rua, onde é reabsorvida pelo solo, há o desperdício de todo o processo de tratamento e transporte pelos quais passou antes de ser perdida. ‘Jogam-se fora os produtos químicos, a mão de obra e a energia que ela consumiu. Vai tudo literalmente pelo ralo’, explica. Além disso, ele conta que o ‘gato’ hidráulico é um dos principais problemas do desperdício de água. As tubulações normalmente utilizadas nesse tipo de ligação clandestina não são de boa qualidade e, às vezes cruzam até tubulações de esgoto, que contamina a água.

  • É possível chegar ao desperdício zero?

O especialista explica que países como o Japão e Israel, que detêm poucas reservas hídricas, realizaram investimentos maciços para que o desperdício tenda a zero. Em Tóquio, menos de 5% da água tratada é desperdiçada. Já em Israel, além da contenção do desperdício de água tratada, ainda utilizam-se de um processo de reciclagem da água, ‘é possível beber a água que saiu da estação de tratamento de esgoto, ou seja, que passou pelo vaso sanitário’, conta Gesner.

  • O que podemos fazer para economizar água?

Gesner indica diversos caminhos fundamentais e concomitantes. O primeiro é o estabelecimento de regras de uso da água, de acordo com critérios técnicos, por um órgão de regulação. Ele ressalta também a importância de bom planejamento e boa gestão dos recursos e da instalação de processos mais eficientes de reciclagem e tratamento da água. De nada adiantam todos esses esforços, porém, se não fizermos nossa parte, com a consciência de que estamos usando um ‘bem valioso’. Adeus ‘gatos’, banhos demorados, e lavar a calçada com a mangueira!