Share |
24/01/2013

Zoo de Belo Horizonte recebe oito mamíferos ameaçados de extinção

Tetra Pak
UOL Educação

O Jardim Zoológico de Belo Horizonte recebeu de diversas instituições brasileiras, desde o fim do ano passado, oito mamíferos ameaçados de extinção: três fêmeas de mico leão de cara dourada (Leontopithecus chrysomelas), um macho de elande (Taurotragus oryx), uma fêmea e um macho de mico leão dourado (Leontopithecus rosalia) e uma fêmea de gato palheiro (Leopardus colocolo), além de uma fêmea de cervo do pantanal (Blastocerus dichotomus). Somente o elande pertence à fauna africana, os outros animais são da fauna brasileira.

A acolhida dos animais foi anunciada nesta quinta-feira (17) pela Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte. O recebimento de espécies ameaçadas de extinção começou no mês passado como resultado da participação do Zoo da capital mineira no Plano de Ação Nacional de Proteção às Espécies Ameaçadas, coordenado pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes Conservação da Biodiversidade).

Segundo o diretor do Zoo, Carlyle Mendes Coelho, o objetivo do programa do ICMBio é "garantir proteção e manejo integrado de ecossistemas e de espécies do patrimônio natural e genético de representatividade ecológica em escala regional e nacional".

Os animais recebidos foram encaminhados ao Hospital Veterinário do Jardim Zoológico para passar pelo período de quarentena e diversos exames clínicos, para se averiguar as condições de saúde dos animais e adaptação à dieta pelo zoológico. Após esse período, que dura em média um mês, os animais são transferidos para seus recintos de exposição.

A expectativa é de que os novos moradores do Zoo possam formar casais (mico leão dourado, gato palheiro, elande) e grupos (mico leão de cara dourada). Segundo o diretor do Zoo, a principal preocupação é com a adaptação dos animais. "Os animais são monitorados por diversos profissionais para que possam usufruir de saúde e bem-estar", afirmou Coelho.