Share |
29/06/2015

Protocolo de Kioto: Sete chaves sobre este importante acordo

Juliana Guarexick
Envolverde

Qual é a importância do protocolo que entrou em vigor em 2005? Quais metas foram propostas e quantas alcançadas? Quanto pode contribuir nas ações que serão realizadas antes de entrar em vigor o acordo que se espera conseguir na COP 21, em Paris? Aqui apresentamos sete chaves do acordo e uma infografia de uso livre, que ajudarão a entender o acordo internacional mais importante para tentar frear a mudança climática.

Conexão COP 21, 16/6/2015 – “O Protocolo de Kyoto foi um notável êxito em muitos aspectos. Não só enfatizou a realidade científica de que é preciso reduzir as emissões, mas também introduziu conceitos pioneiros, opções flexíveis, soluções práticas e procedimentos para a contabilidade de emissões que hoje em dia damos como assentados”, afirmou Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção Marco das Nações Unidas sobre Mudança Climática (CMNUCC).

  • 1- O primeiro compromisso dos países para reduzir as emissões completa este ano uma década de implantação. Um grande êxito no ano estratégico para a COP 21, na qual se espera conseguir um acordo climático global mais ambicioso.
  • 2- O Protocolo de Kyoto é um acordo internacional adotado em Kyoto, no Japão, em 11 de dezembro de 1997, e que entrou em vigor no dia 16 de fevereiro de 2005.
  • 3- A redução das emissões, em média, de 5% com relação aos níveis de 1990 foi o primeiro período do compromisso (2008-2012), que 37 países industrializados e a Comunidade Europeia assumiram. Porém, o resultado foi mais que animador, segundo a informação fornecida pelas partes do Protocolo: redução de 22,6% em relação ao ano de referência, 1990.
  • 4- O segundo período de compromisso, conhecido como Emenda de Doha, entraria em vigor quando três quartos das partes do Protocolo tivessem fornecido seus instrumentos de aceitação ao seu Depositário. Espera-se que isso contribua para elevar os níveis de ambição para a ação antes de 2020.
  • 5- O acordo introduziu uma inovação fundamentao, como é o uso dos mercados para facilitar o investimento em ações climáticas. Isso deixou claro às empresas e aos investidores que os gases-estufa têm um preço e reduzi-los tem um valor.
  • 6- Dando um valor à redução de emissões, o Protocolo de Kyoto serviu para criar o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), que permitiu a países em desenvolvimento e desenvolvidos cooperarem para reduzir emissões, ao mesmo tempo impulsionando o desenvolvimento sustentável.
  • 7- Atualmente há 7.800 projetos dentro do MDL em 105 países em desenvolvimento. Para cada tonelada de gás que conseguem reduzir, esses projetos recebem créditos que podem ser vendidos no mercado. Graças a esse sistema, até agora se evitou a emissão de 1,5 bilhão de toneladas de CO2 na atmosfera.