Share |
23/04/2014

Primeiros testes da Ecobarreira na saída do Canal de São Francisco são realizados

Tetra Pak
Portal do Meio Ambiente

Após as chuvas fortes que atingiram Niterói esta semana, nos dias 13 e 14 de abril, foi realizado o primeiro registro do novo modelo de Ecobarreira proposto para a saída do Canal de São Francisco. Para um primeiro teste, o resultado foi bastante positivo.

A instalação da Ecobarreira foi uma iniciativa proposta pelo Projeto Grael através do Projeto Águas Limpas em meados 2011, como uma forma de reduzir o aporte de resíduos (lixo marinho) para a Enseada de Jurujuba e praia de São Francisco e aumentar a eficiência da coleta de lixo flutuante pela embarcação Águas Limpas. O projeto inicial foi ganhando novos formatos até a participação da equipe da Águas de Niterói , grande parceira do Projeto Águas Limpas.

No final de 2013 o projeto virou um TAC entre o INEA e a Águas de Niterói e começou a ser concretizado com a instalação de estruturas metálicas para fixação das redes de proteção. Em março de 2014 foi instalada a rede de proteção, mesma utilizada em janelas, e a ecobarreira ganhou o formato de muro de rede. O projeto baseou-se no modelo de rede utilizada em alguns canais de drenagem de Los Angeles – Califórnia e adaptado para a saída do Canal de São Francisco a fim de reter os resíduos carregados e ter um baixo custo de manutenção da rede.

Nesse projeto, a participação da CLIN, também parceira do Projeto Águas Limpas, é fundamental para a coleta e destinação dos resíduos que ficam retidos na rede logo após os períodos de chuva, (resíduos esses que acabariam na Praia de São Francisco).

Vale ressaltar que uma ecobarreira é uma ação paliativa e deve estar integrada a ações de melhora na coleta de resíduos e limpeza urbana em toda a bacia contribuinte ao Canal de São Francisco, principalmente nas áreas de ocupação desordenada a montante do Canal.