Share |
21/12/2015

NASA indica 5 plantas para purificar o ar da casa


Pensamento Verde

Quem vive em grandes cidades sofre com a (má) qualidade do ar no dia a dia. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, não é raro encontrar casos de pessoas com problemas respiratórios, como asma ou bronquite. A poluição de indústrias e carros influencia diretamente em um ar mais seco e com gases prejudiciais à saúde humana… A situação piora ainda mais em dias quentes.

Para melhorar a situação, a agência espacial norte-americana (NASA) tem um estudo detalhado com cinco plantas que purificam o ar da casa. A pesquisa iniciada em 1989 considerou as principais características das plantas, a facilidade de encontrá-las e também como reagem em contato com os poluentes presentes no ar, como xileno, benzeno, tricloroetileno, amoníaco e formaleído.

“É importante ter variedade de plantas em casa, já que algumas são melhores que outras para eliminar substâncias químicas específicas do ar”, afirmou Bill Wolverton, autor do estudo e que hoje é diretor da ONG Wolverton Environmental Services.

Além de garantirem mais beleza e cores para qualquer casa ou apartamento, as plantas também desempenham um papel muito importante para melhorar o ar que respiramos em nossos lares. Segundo a NASA, estas são as cinco plantas para purificar o ar da casa:

Jiboia (Epipremnum aureum): Facilmente encontrada em todo o Brasil, a jiboia é uma planta muito resistente, fibrosa e com grande capacidade de sobrevivência, tanto é que não é preciso ter cuidados especiais no dia a dia. Ideal é mantê-la em ambientes com temperatura entre 17ºC e 30ºC e regar somente quando a terra estiver bem seca. Absorve: benzeno, formaleído e xileno.

Lírio da paz (Spathiphyllum): Entre as principais características da planta, a longevidade certamente chama a atenção. O lírio da paz deve ficar em locais com temperatura superior a 18ºC e por onde não passe correntes de ar. Sobrevive com pouca água e luz, sendo eficaz para absorção de todos os gases poluentes apontados pela NASA.

Palmeira-dama (Raphis excels): Podendo chegar a medir até três metros, a palmeira-dama (também conhecida como palmeira-ráfis) deve ser cultivada em ambientes com temperatura mediana e onde não há contato com a luz direta. Segundo a NASA, esta espécie consegue purificar o ar através da absorção de amoníaco, formaleído e amoníaco.

Espada-de-São-Jorge (Sansevieria trifasciata): Muito utilizada na decoração de interiores em lojas e escritórios, a Espada-de-São-Jorge é de origem africana e consegue sobreviver em climas extremos, como acima de 40ºC e abaixo de 5ºC. Eficaz para purificar o ar contra tricloroetileno, benzeno, formaleído, xileno e o toluene.

Árvore-da-borracha (Ficus elastica): Além de purificar o ar, a planta também favorece a umidificação do ambiente, isso porque é uma espécie com alto índice de transpiração. A árvore-de-borracha é resistente e com crescimento acelerado, sendo muito eficaz na absorção de benzeno, toluene, tricloroetileno, xileno e formaleído.