Share |
15/05/2018

Conheça os diferentes tipos de degradação ambiental e a importância da recuperação de terras


Pensamento Verde

É chamada de degradação ambiental qualquer processo, seja ele natural ou provocado por ações humanas, que suprima do ambiente características próprias e condições favoráveis à renovação da vida. A degradação ambiental natural pode ser consequência de mudanças climáticas bruscas ou ausência prolongada de chuvas — que leva à desertificação, como acontece em parte do sertão nordestino.

No caso da degradação ambiental resultante da ação humana, desmatamento e queimada de florestas são exemplos de processos que destroem as condições do ambiente, fazendo com que diversas espécies de animais não encontrem mais meios de sobreviver e migrem para outros territórios.

Em outras palavras, podemos dizer que a degradação ambiental é a precarização das condições de vida para as espécies e a perda do equilíbrio entre as diversas formas de vida —que é uma das características de um bioma natural.

Tipos de degradação ambiental

  • Poluição: Acarretada pela ação humana, resulta na contaminação do solo e da atmosfera por meio de poluentes que são liberados pelas indústrias e despejados em esgotos, além do descarte incorreto de resíduos.
  • Desmatamento: É caracterizado pelo desflorestamento de grandes áreas, o que leva ao empobrecimento do solo e desequilíbrio das formas de vida locais.
  • Salinização: É um efeito causado pelo excesso de sais minerais na agricultura, e está ligado ao mau uso da irrigação, levando à infertilidade do solo.
  • Queimadas: Muito utilizadas para remover a vegetação, possuem o efeito de fertilizar o solo, mas o efeito sobre a fauna e o equilíbrio do bioma é devastador.
  • Efeito estufa: Causado pela emissão de gases poluentes na atmosfera, que acarretam no aquecimento global, com perspectiva de consequências desastrosas.

Qual a importância de recuperar a terra?

Os impactos da degradação do solo são devastadores, uma vez que toda a vida provém do solo — que é a base da cadeia alimentar. Se o solo não produz nada, não há alimentação para manter a vida de um local.

Por essa razão, é importante que iniciativas governamentais imponham políticas de recuperação do solo com o intuito de restaurar o ecossistema, mesmo que parcialmente. Outra possibilidade é reabilitar a terra, de modo que ela se torne fértil e capaz de dar suporte a outras atividades.

Em resumo, a terra é a fonte da vida e a deterioração do solo é uma ameaça terrível ao ecossistema. Nesse sentido, manter políticas que eduquem a população e imponham duras sanções a quem agrida o solo são medidas inevitáveis no caso de países como o Brasil, com grande extensão territorial.