Share |
03/10/2013

Como a mudança do clima vai prejudicar tudo que você ama


Planeta Sustentável

O que você ama?

O que você ama pode estar ameaçado com as mudanças climáticas. As coisas que enriquecem a vida e dão sentido a ela sumirão para seus filhos e netos se você e todas as outras pessoas não arregaçarem as mangas e começarem a cuidar já do planeta, não importa o que governos, legisladores e cientistas façam a respeito.

Sim, a questão é pessoal!

Este foi o tom, tocante, da fala do ex-vice presidente americano e Prêmio Nobel da Paz, Al Gore, em sua apresentação no megaevento Social Good Summit.

Nesse encontro, grandes ideias dão as mãos a novas mídias para criar soluções inovadoras: o poder do pensamento criativo e a tecnologia podem juntos nos ajudar a resolver nossos maiores desafios: a mudança do clima, a injustiça social, a eliminação da doenças e da pobreza, a segurança alimentar.

Entre os palestrantes estão pessoas de atividades tão diversas quanto J. J. Abrams, o produtor da série Lost, Rob Bourdon, baterista da banda Linkin Park, sir Richard Branson, fundador do Virgin Grupo, Maggie Fox, presidente do Climate Reality Project (fundado por Al Gore), ou Hans Vestberg, CEO da Ericsson, uma das patrocinadoras do evento.

O que Gore subiu ao palco para apresentar foi o projeto What I Love (O que eu amo), do Climate Project Reality, através de um vídeo de pouco mais de um minuto, com imagens belas, e dramáticas. O centro da iniciativa é um site de construção elaborada e cara, e conteúdo espetacular, no qual se pede que você escolha oito coisas que ama, de várias categorias, como por exemplo: pão, oceanos, florestas, whisky, vida selvagem, verduras frescas, maçãs, água, florestas, etc.

Depois de feita a escolha, o site irá criar um cenário, ou uma “tela”, mostrando como estas coisas são afetadas pela mudança do clima. Após esta experiência de conhecimento, fica bem mais difícil permanecer passivo diante do consumo de combustíveis fósseis, de desastres naturais, do nosso descaso com o mundo do qual dependemos para termos vidas satisfatórias. Nós vamos ser afetados, de um jeito ou de outro.

“A poluição de carbono é um problema causado pelo homem. Está na hora de soluções feitas pelo homem”, diz o projeto. “Se quisermos impedir que ele ameace nossa atmosfera como se ela fosse um esgoto a céu aberto, precisamos construir uma forte rede de ativismo devotada à luta”.