Share |
04/01/2016

Coleta Seletiva além dos muros da escola


Tetra Pak
http://

A educação é o grande agente transformador de uma sociedade. Alicerçada nesta premissa, a Tetra Pak® tem desenvolvido, ao longo dos anos, uma série de ações com foco na educação ambiental da população, especialmente alunos e educadores. Em 2015, a partir de uma demanda por parte das escolas com o intuito de aprofundar as ações educativas, foi desenvolvido um novo projeto denominado “Coleta Seletiva nas Escolas”. O projeto visa implementar a coleta seletiva no ambiente escolar, através da capacitação de gestores e educadores que promovem mudanças de pensamento e comportamento na comunidade, a favor das boas práticas ambientais.

Três escolas da região oeste da cidade de São Paulo foram escolhidas para o projeto, cada uma com seu perfil diferenciado.

A primeira é uma escola municipal que atende a educação infantil e aposta no protagonismo dos alunos. Na EMEI Dona Leopoldina, as crianças de 4 e 5 anos colaboram diretamente na tomada de decisões para a instituição, reivindicando pelo fim da soneca, por uma pista de carrinhos e por uma quadra de esportes menor, por exemplo. Este protagonismo também é refletido na temática ambiental. A escola é referência em modelo de sustentabilidade e os alunos já descartam os resíduos corretamente, cuidam de um minhocário onde ocorre a compostagem dos resíduos orgânicos, cuidam de uma horta, reutilizam diferentes tipos de materiais em atividades pedagógicas e dessa forma, incorporam a cidadania em suas atividades diárias com base no ensinamento dos educadores, que lideram pelo exemplo. Uma das conquistas da própria escola foi ter conseguido com que o caminhão da LOGA, empresa responsável pelo gerenciamento de resíduos na cidade de São Paulo, parasse e coletasse o material da EMEI para a coleta seletiva.

Mas como garantir que o que está sendo trabalhado dentro do ambiente escolar possa ser levado além dos muros da escola? É aí que entra o Projeto Coleta Seletiva nas Escolas atuou. Como internamente a escola já é referência em sustentabilidade, restava garantir que a comunidade ao redor da escola também seguisse seus passos. O tema já havia sido trabalhado com 80 colaboradores e 400 alunos, mas ao sensibilizar os pais dos alunos durante encontros de pais e comemorações da própria escola, foi possível levar a temática adiante. Agora, durante as festas em que a comunidade escolar está presente, é realizada a separação dos resíduos, o que não era feito antes. O interesse pela temática ambiental só aumentou, o que foi verificado pela inclusão de uma disciplina de Reciclagem na grade dos alunos.

A segunda escola é uma escola estadual que trabalha com o Ensino Fundamental I e II e com Ensino Médio. Apesar da Escola Estadual Deputado Augusto do Amaral não realizar a coleta seletiva antes da implantação do projeto, a escola já era reconhecida por sua limpeza, não apresentando um lixo sequer jogado no chão após os intervalos. O ambiente dessa forma era propício para a realização do projeto.

Durante a sensibilização dos educadores e funcionários, reforçou-se a importância da destinação correta dos resíduos sólidos, consumo consciente e coleta seletiva. Em meio à recente reestruturação que o sistema educacional estadual que a cidade de São Paulo tem sofrido, um dos primeiros obstáculos encontrados foi a realização de uma feira cultural com os alunos dado o baixo orçamento necessário para comprar o material necessário para concretizar a atividade pedagógica.

O tema da feira cultural: a crise hídrica sofrida pelo Estado de São Paulo. Engajados na temática ambiental, corpo docente e discente abraçaram uma nova causa: juntar a quantidade de material reciclável necessária para reverter o lucro da venda dos materiais em ações pedagógicas. Os resultados foram surpreendentes. Juntos, professores e alunos conseguiram R$ 850,00 da venda dos materiais e economizaram cerca de R$1000,00 com materiais de apoio, dada a reutilização proposta pelo projeto.

Depois da sensibilização de 122 colaboradores e cerca de 1200 alunos, a escola agora vende seu material reciclável para comércios locais, revertendo diretamente o lucro em projetos escolares para os alunos. Observa-se a mudança de pensamento e postura não só por parte dos educadores, conscientes da importância do tema em sala de aula e do consumo consciente dos materiais escolares, mas também dos alunos que se tornam verdadeiros agentes ambientais, garantindo a correta separação dos seus resíduos dentro e fora da escola. O próximo passo agora é fazer com que o Grêmio Estudantil, que se encontra em formação, seja o responsável pela manutenção do projeto.

Por fim, temos o Colégio Vital Brazil, referência no ensino do Estado de São Paulo que atende desde o Ensino Infantil até o Ensino Médio, também reestruturou a forma como lida com os seus próprios resíduos. O tema amplamente discutido no corpo administrativo do colégio gerou o desenvolvimento de uma nova identidade visual nas lixeiras e comunicação da coleta seletiva no interior do colégio. Foram 150 colaboradores treinados responsáveis por repassar o conhecimento para os alunos. Mas a instalação dos novos coletores foi só o começo. Os resíduos recolhidos são encaminhados para uma cooperativa de reciclagem que fica localizada no bairro e que foi visitada pelo corpo de funcionários do colégio, colaborando então para complementar a renda das famílias que trabalham na cooperativa. Os alunos também já se conscientizaram do descarte correto dos resíduos, como vemos no vídeo.

Mesmo com realidades e rotinas diferentes, a coleta seletiva dentro do ambiente escolar só trouxe benefícios às escolas. Foi observada uma economia no orçamento escolar e uma mudança na mentalidade e postura com que a temática é tratada. A importância do respeito ao meio ambiente é vivenciada diariamente. Ao aprender e praticar a coleta seletiva, estas comunidades se tornam centros permanentes de boas práticas ambientais e cada um dos seus integrantes, um agente multiplicador do conceito de sustentabilidade. E, assim, a sociedade se transforma para melhor, partindo de dentro do ambiente escolar para além dos muros da escola.

Caso queira mais informações, entre em contato pelo email: falecom.meioambiente@tetrapak.com