Share |
19/04/2015

Belo Horizonte é, pela segunda vez, a Capital Nacional da Hora do Planeta


WWF Brasil

Nesta quinta-feira, dia 9, o vice-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente de Belo Horizonte, Délio Malheiros, recebeu pela capital mineira o título de Capital Nacional da Hora do Planeta. A premiação faz parte do concurso Desafio das Cidades, promovido pela Rede WWF para reconhecer os esforços do ambiente urbano rumo a uma economia de baixo carbono, e aconteceu em Seul (Coreia do Sul), durante o Congresso Mundial do ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade) - parceiro do WWF no Desafio.

Belo Horizonte disputou o título nacional com outros nove municípios, que reportaram seus dados e ações de adaptação e mitigação às mudanças climáticas no Carbon Climate Register, plataforma administrada pelo ICLEI, em conjunto com os grupos C40 e CGLU. Betim (MG), Campo Grande (MS), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS) e Recife (PE) ficaram na primeira fase. São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) chegaram novamente à final, sendo que o segundo mereceu uma menção honrosa do júri formado por 13 especialistas internacionais e avalizado pela Accenture, uma consultoria terceirizada e independente.

Entre os destaques que levaram a capital mineira à conquista, o júri ficou impressionado com os resultados alcançados a despeito do relativamente baixo orçamento disponível. Reconhecida como capital solar do país, BH implementou ações inovadoras, como a instalação de placas de captação de energia solar no teto do Mineirão, estádio sede da Copa do Mundo FIFA 2014. O programa de biogás também contou muitos pontos a favor.

Pelo seu esforço na redução de emissões de gases causadores do efeito estufa oriundos do transporte, com a expansão das redes de metrô, ciclovias e BRT, o Rio de Janeiro foi agraciado pelo júri com um certificado de menção honrosa. Já São Paulo mereceu chegar à final graças a seus esforços para a geração de biogás a partir de resíduos de aterros e à regulação que garante aquecimento da água com energia solar em novas construções.

“Não existem limites para os desafios que enfrentamos combatendo as mudanças climáticas e preservando os sistemas e recursos naturais do planeta. As cidades têm um importante papel em colocar o mundo na trilha do desenvolvimento sustentável alimentado por energias renováveis”, disse Marco Lambertini, diretor geral do WWF Internacional.

Hoje, mais de 50% da população global vive em cidades, e elas são responsáveis pela emissão de mais de 70% dos Gases de Efeito Estufa para atmosfera. Ao mesmo tempo, é no ambiente urbano onde estão os recursos e as tecnologias para frear este processo.

Coreia do Sul leva o título global

Na edição 2014/2015, 17 países entraram na disputa e a anfitriã do congresso, Seul, celebrou o título de Capital Global, uma espécie de final entre os vencedores de cada nação. Os outros concorrentes eram: Belo Horizonte (Brasil); Córdoba (Espanha); Evanston (Estados Unidos); Gothenburg (Suécia); Hatyai (Tailândia); Jakarta (Indonésia); Lahti (Finlândia); Montería (Colômbia); Paris (França); Petaling Jaya (Malásia); Puebla (México); City of Singapore (Cingapura); Thane (Índia); Tshwane (África do Sul) e Vancouver (Canadá).

Sobre o ICLEI-Governos Locais pela Sustentabilidade

O ICLEI é a principal associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável. O ICLEI promove ação local para a sustentabilidade global e apoia cidades a se tornarem sustentáveis, resilientes, eficientes no uso de recursos, biodiversas, de baixo carbono; a construírem infraestrutura inteligente e a desenvolverem uma economia urbana verde e inclusiva com o objetivo final de alcançar comunidades felizes e saudáveis. A missão do ICLEI é construir e servir um movimento mundial de governos locais para alcançar melhoras tangíveis na sustentabilidade global, com especial atenção às condições ambientais, através de ações cumulativas. Para saber mais visite http://sams.iclei.org/home.html