Share |
20/10/2013

Prefeitura de SP endurece regras de avaliação do ensino fundamental


Folha de São Paulo

A partir de 2014, as escolas municipais de ensino fundamental de São Paulo contarão com avaliações e boletins bimestrais, além da ampliação de séries em que o aluno poderá ser reprovado: de duas, passarão para cinco.

As medidas foram confirmadas ontem pela Secretaria Municipal de Educação."Elas vão resgatar a autoridade do professor", diz o secretário Antonio Cesar Callegari.

Hoje, as escolas municipais não têm avaliações periódicas, boletins e a progressão automática está em sete dos nove anos do ensino fundamental.

Outra novidade é a possibilidade de expulsão e de transferência de escola de alunos com mau comportamento --prática já estabelecida nas escolas particulares.

As novas normas fazem parte do conjunto de propostas do programa "Mais Educação", anunciado em agosto pela gestão de Fernando Haddad (PT), e passaram por aprovação em consultas a setores da educação e audiências públicas.

CICLOS

Outra mudança aprovada foi a divisão do ensino fundamental em três ciclos. Até então, a etapa era composta por dois ciclos.

Esse período vai da alfabetização (média seis anos de idade) ao 9º ano (14 anos).

Com a alteração, os alunos poderão ser reprovados no último ano dos dois primeiros ciclos e nos três anos do último ciclo, que antecede o ensino médio.

As novas normas também preveem a figura do professor especialista mais cedo na escola, já no 2º ciclo (do 4º ao 6º anos). Até este ano, os matemáticos, físicos e biólogos (licenciados) apareciam só no final do ensino fundamental.