Share |
22/05/2014

Programa Cidades Sustentáveis promove curso sobre gestão e sustentabilidade em Teresina

Tetra Pak
Cidades Sustentáveis

Na última quinta-feira (15) foi realizado o Curso de Gestão Pública Sustentável voltado a técnicos da Prefeitura de Teresina (PI). A capacitação foi promovida pela Secretaria Executiva do Programa Cidades Sustentáveis (PCS), em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e a Fundação Alphaville, e com apoio da Prefeitura Municipal de Teresina.

O primeiro dia foi realizado no auditório da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (Semtcas), com a presença do secretário Municipal de Planejamento, Washington Bonfim, e representantes do Programa Cidades Sustentáveis.

De acordo com o secretário Washington Bonfim, o curso é importante para colocar em prática a agenda de ações que melhoram ainda mais os índices de qualidade de vida propostos pelo Programa Cidades Sustentáveis. “Tem que existir essa parceria, e é necessário reunir o maior número de dados para avaliar os avanços do município e identificar quais as áreas que precisam de mais atenção. Esses indicadores ajudam na gestão municipal e também são úteis para a população”.

A primeira parte do curso foi ministrada pela coordenadora do Programa Cidades Sustentáveis, Zuleica Goulart, e pelo assessor do Programa, Américo Sampaio.

Segundo Zuleica, o Programa Cidades Sustentáveis oferece aos gestores públicos uma agenda completa de sustentabilidade urbana, um conjunto de indicadores associados a esta agenda e um banco de práticas com casos exemplares nacionais e internacionais como referências a serem seguidas pelos municípios. “O objetivo do Programa é sensibilizar e mobilizar as cidades brasileiras para que se desenvolvam de forma econômica, social e ambientalmente sustentável, proporcionando assim uma melhor qualidade de vida para a população", explica.

Para Sampaio, eventos como este são importantes para articular as diversas pastas e gestores públicos em práticas que tragam a sustentabilidade para a execução de políticas municipais como um todo. “A sustentabilidade deve ser o modo de operar da prefeitura e não apenas um tema paralelo ao trabalho que ela desenvolve”, explica o assessor.

Américo complementa ainda que a participação social é um dos pilares fundamentais da sustentabilidade. “Sem participação não há sustentabilidade. E para haver participação social, é preciso ter mecanismos de participação e informação, por isso é tão importante implementar e garantir o bom funcionamento dos Conselhos de Políticas Públicas, assim como regulamentar a Lei de Acesso à Informação (LAI)”, completa.

Dentro do Programa, a cidade deverá trabalhar 12 eixos: governança; bens naturais comuns; equidade, justiça social e cultura de paz; gestão local para a sustentabilidade; planejamento e desenho urbano; educação para a sustentabilidade e qualidade de vida; economia local dinâmica, criativa e sustentável; consumo responsável e opções de estilo de vida; melhor mobilidade, menos tráfego; ação local para a saúde; do local para o global e cultura para a sustentabilidade.