Share |
01/08/2012

Um barco movido a energia solar levará crianças ribeirinhas do Pará à escola

Tetra Pak
http://portal.mec.gov.br

Um barco movido a energia solar levará crianças ribeirinhas do Pará à escola.A embarcação atenderá a comunidade ribeirinha de Santa Rosa, nas proximidades de Belém, com o transporte de estudantes do primeiro ao nono ano do ensino fundamental, turnos matutino e vespertino. Hoje, o trajeto dos alunos até a escola e de volta para casa é feito por cerca de 40 pequenas embarcações contratadas pela prefeitura local.

Alexandre Montenegro, pesquisador da UFSC, participante do grupo que concebeu o projeto, afirma que na escolha da unidade de ensino a ser beneficiada foi considerada a demanda regional e a localização, próxima a um câmpus da Universidade Federal do Pará, que pode servir de apoio. Segundo Montenegro, o barco solar permitirá a redução da poluição por parte das embarcações movidas a diesel nos leitos dos rios. Ajudará também a reduzir o estresse dos animais da região. “Os motores elétricos são silenciosos, ao contrário dos movidos a combustão”, explica.

O barco solar, em fase de finalização, terá módulos solares instalados no teto, com potência de 4kWp (quilowatt-pico); capacidade para 22 pessoas sentadas; conjunto de baterias com autonomia para cinco horas de navegação à noite; dois conversores de corrente contínua (das baterias) para corrente alternada (dos motores elétricos) e dois motores elétricos, responsáveis pelo sistema de propulsão, com sistema de refrigeração a água — 30% mais leves do que os similares com refrigeração a ar.

No atracadouro, junto à escola, será construída uma oficina solar, com potência de 16kWp e banco de baterias. Quando o barco atracar, as baterias serão carregadas por meio de conexão com tomada especial a um terminal elétrico. Assim, contará com armazenagem extra de energia, necessária em dias de muita chuva, comuns na região.

O projeto, concebido pelo grupo Fotovoltaica, da UFSC, é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação(MCTI) e tem o apoio da Eletrobras.