Share |
10/02/2013

ONG Guardiões do Mar recicla 5 mil toneladas de resíduos sólidos

Tetra Pak
Projeto Agenda 21 Comperj

Em 2012, municípios que fazem parte da região do Comperj ajudaram a economizar 2,5 milhões de kW de energia e deixaram de cortar 28.129 árvores. Como conseguiram isso? Reciclando.
A ideia de que é possível transformar lixo em renda e ainda ajudar a preservar o meio ambiente foi o que motivou a ONG Guardiões do Mar e catadores de 15 cooperativas de reciclagem a se unirem para recolher e comercializar em conjunto os materiais recicláveis de municípios como Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Magé. Por meio dos projetos locais, a ONG recolheu mais de cinco mil toneladas de resíduos sólidos.

Materiais como vidro, papelão, papel, plástico, metal e Tetra Pak foram coletados em empresas desses municipios e em pousadas da Região dos Lagos, e levados para cooperativas, onde passaram pelo processo de separação, prensa e comercialização. A união dos materiais foi o que, segundo Pedro Belga, coordenador da ONG, possibilitou maior geração de renda com a venda dos recicláveis em escala. “Muitas cooperativas existiam isoladas, e o que fizemos foi uni-las para conseguirmos elevar a renda com a venda desse material. Quanto mais recicláveis juntos, maior o preço no mercado e é por isso que a rede é tão importante para essas cooperativas”, afirmou Belga.

São beneficiados pelo projeto 460 catadores e a expectativa para 2013 é aumentar ainda mais a renda dessas famílias. Para isso, querem expandir o número de empresas parceiras, além de inserir o poder público na rede de coleta e incentivar a população a reciclar o lixo.

A dica de Pedro Belga, coordenador da ONG, para quem deseja ajudar o projeto fornecendo materiais recicláveis é simples: junte os moradores próximos e informe à ONG sobre a necessidade da coleta. As donas de casa não precisam separar todos os tipos de recicláveis, apenas não misture os materiais recicláveis com o lixo orgânico. O caminhão do projeto irá recolher o material e o crescimento da produção trará aumento significativo na renda desses trabalhadores.

Transformando vidas
A iniciativa da ONG começou em 2011, com o Projeto CataSonhos. Patrocinado pela Petrobras, a proposta era fortalecer a coleta e a comercialização do material reciclável e de óleo vegetal usado. O Projeto Rede Leste foi colocado em prática em 2012 e tinha o desafio de unir cooperativas de diversos municípios e mostrá-los a importância do trabalho em conjunto. O principal objetivo era a implantação de uma rede de comercialização de recicláveis no Leste da Guanabara. O projeto é inédito no Estado e envolveu os municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito, Cachoeira de Macacu, Magé, Guapimirim, Maricá, Saquarema, Silva Jardim e Casimiro de Abreu.

Em 2013, o Projeto CataSonhos está sendo analisado pelo Programa Petrobras Ambiental para receber mais uma vez o patrocínio da estatal. De acordo com Pedro Belga, a renovação do apoio levará o projeto para uma segunda etapa, em que serão inseridos mais catadores e será criada uma cooperativa de segundo grau para oficializar a rede de coleta.

Os planos municipais objetivam a prevenção e a redução da geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos e para destinação ambientalmente adequada do lixo. Uma das principais mudanças na nova legislação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, é o estabelecimento da responsabilidade compartilhada entre cada integrante da cadeia produtiva (empresas, governo e consumidores).

Para mais informações sobre o Plano Nacional de Resíduos Sólidos, clique aqui.