Share |
Anterior Próximo
09/06/2014

Público 'mergulha' na floresta

Tetra Pak
O Liberal

Da pré-produção até o final da montagem do filme “Amazônia”, foram necessários três anos. O projeto teve início em 2011, quando a equipe se deslocou para a região amazônica e filmou as cenas da floresta durante sua temporada mais seca. Em 2012, o desafio foi filmar durante a estação das chuvas. E em 2013 as expedições foram para locais de mata mais fechada, com takes específicos, e gravação de tomadas aéreas. Durante os três anos, somados, o filme teve 11 meses de filmagens, com uma equipe de mais de 100 profissionais brasileiros e franceses e 45 toneladas de equipamento. “Filmamos muito no entorno de Manaus, em cidades como Presidente Figueiredo, e no eixo do Rio Negro. Filmamos também em regiões próximas a Belém, em Carajás, Marabá, no Pico da Neblina e no norte do Mato Grosso”, disse Fabiano.

A ideia de fazer o filme em 3D tem uma explicação óbvia. “Muitas pessoas ouvem falar sobre a Amazônia, sabem dados sobre, mas poucas realmente foram à Amazônia. Esse projeto tem esta vocação: fazer as pessoas perceberem que é importante conhecer esta região. O filme é um canal para serem apresentados para a Amazônia e a escolha do 3D foi por isso: para ‘botar as pessoas dentro do filme’, como dizemos na linguagem figurada do cinema”, explicou Gullane.

O próprio Fabiano, aliás, atestou o quanto uma viagem por dentro da imensidão da floresta pode despertar a consciência de uma pessoa sobre a relevância que a região tem, e com isso colocar em prática comportamentos muito discutidos, como exploração sustentável de recursos, de uma forma consciente. “Essa região tem 33 milhões de pessoas e corresponde a quase 50% do território brasileiro. Tem uma reserva natural impressionante, um poderio econômico muito forte. Quanto mais a gente se aproxima da Amazônia, mais quer se aprofundar. O Brasil e o mundo têm que estar muito atentos para preservar este tesouro”, alertou.

A experiência de integração entre franceses e brasileiros para a produção do filme também foi um capítulo à parte na produção do longa metragem. “Pela boa energia e bom espírito dos brasileiros, eu acho que a gente soube e a gente conseguiu enfrentar todas as dificuldades que se aprensentaram a nós. Então é algo de muito positivo”, disse Thierry Ragobert, diretor do filme, no vídeo de making of de “Amazônia”. O roteiro de Amazônia é Luiz Bolognesi e os diálogos foram escritos por Luiz Roberto Torero. “Amazônia” é produzido pela brasileira Gullane em parceria com a francesa Biloba. No Brasil, o grupo liderado pela Gullane conta com coprodução e distribuição da Imovision, coprodução de Globo Filmes, RioFilme e Telecine, participação do Fundo Setorial do Audiovisual e ANCINE, apresentação da Natura Ekos, patrocínio máster da Natura e patrocínio da Tetra Pak. Na França, o grupo conta com coprodução da Gedeon Programmes e France 2 Cinema, em associação com o Canal+ e distribuição da Le Pacte.




Anterior Próximo